OCEANOGRAFIA E SEMIÁRIDO
O Mar vai ao Sertão

O evento é organizado desde 1984 e busca integrar estudantes e profissionais das Ciências do Mar, compartilhando pesquisas, conhecimentos e experiências nas mais diversas áreas do conhecimento. Estamos muito contentes com a realização da 31ª SNO em Fortaleza, já que o evento também celebra os dez anos do curso de Oceanografia na Universidade Federal do Ceará.
 
Nessa edição abordaremos como temática a “Oceanografia e o semiárido: o mar vai ao sertão”, evidenciado na logo do evento que gira em torno das formações do Cretáceo na região do Cariri (região sul do Ceará), as quais contém o maior conteúdo fossilífero desta época no mundo e também com o primeiro lago de água doce e o segundo marinho.

Assim, buscamos evidenciar que “o mar vai ao sertão” destacando o fóssil do peixe Cladocyclus encontrado nesta região. “O fóssil de um dos maiores e mais antigos peixes predadores (Cladocyclus gardneri), que tanto podia viver em água salgada como doce”. A região do Cariri, no extremo sul do Ceará, possui uma riqueza quanto à diversidade de fósseis, o que fornece um testemunho da deriva continental.